Guia do informático: Como ganhar mais e trabalhar menos

Conheça as dicas para ganhar mais enquanto informático. Guia de negociação salarial para profissionais das Tecnologias da Informação (TI) em Portugal.

Neste artigo de opinião vou apresentar vários problemas no mercado de IT em Portugal. O que irei descrever passa-se um pouco por todo mundo, no entanto, é mais evidente no nosso país e afeta principalmente quem trabalha como informático.

Alguns destaques positivos em Portugal relevantes:

  • Ensino superior acessível e de boa qualidade;
  • Boa empregabilidade para informáticos;
  • Boa mobilidade para trabalhar na Europa;
  • Bons profissionais;

Isto aplica-se principalmente a quem trabalha em Lisboa e Porto. No resto do país a procura por informáticos é menor e os salários mais baixos. O custo de vida também é muito inferior, o que pode ser uma vantagem, em relação a quem vive e trabalha numa grande cidade.

Existem ainda vários pontos negativos a considerar:

  • Centralismo das ofertas de emprego qualificado em IT;
  • Consultoria absorve grande parte do mercado;
  • Salários baixos;
  • Alta carga fiscal;
  • Custo de determinados bens (carro, casa) bastante desproporcional ao salário;
  • Baixo poder de compra;

Para além disso, o custo de vida nas grandes cidades está a aumentar rapidamente. O principal motivo deve-se ao elevado valor das rendas, o que influencia negativamente a qualidade de vida de quem mora e trabalha nestas zonas do país.

Mas não é tudo. Existem também razões culturais que agravam a situação:

  • Conformismo com o panorama atual;
  • Receio de sair da zona de conforto;
  • Trabalhar mais que 8 horas diárias;
  • Falta de produtividade;
  • Não reconhecimento do valor próprio;

Sem querer generalizar, todos sabemos de colegas a quem podemos aplicar esses pontos, e muitas vezes, também se aplicam a nós próprios.

Apesar de não serem características que se apliquem apenas ao trabalhador português, são, sem dúvida, as principais causas para a falta de valorização do trabalho de um informático.

Com todos estes pontos em mente, muitas empresas em Portugal oferecem salários baixos e condições precárias que muitos acabam por aceitar, desvalorizando, ainda mais, o trabalho qualificado em IT.

Como conseguir ofertas de trabalho

A procura na área de IT por bons profissionais é enorme. Dou ênfase a bons profissionais, pois é uma área onde algo relevante hoje, rapidamente se torna obsoleto amanhã. É necessário ter gosto e dedicação para nos mantermos “atualizados”.

Existem muitos portais onde é possível ver e receber ofertas de emprego:

  • LinkedIn;
  • Landing . jobs;
  • NetEmpregos;
  • Itjobs;

É fundamental ser-se ativo, pelo menos, no LinkedIn, pois é onde normalmente se recebem a maior parte das propostas. Os restantes portais funcionam à base de candidaturas e exceto o Landing . jobs, têm bastante 'spam' de empresas.

Escolher a melhor proposta

Assumindo que tem várias ofertas, deve, em primeiro lugar, tentar perceber se a proposta faz sentido para o que pretende. Como a maioria das propostas são de empresas de consultoria, é importante verificar a credibilidade da empresa recorrendo a portais como o Teamlyzer ou Glassdoor.

Queixas comuns incluem salários baixos e horas a mais. Se uma empresa tiver um rating muito baixo, talvez seja melhor evitar, ou apenas aproveitar para ‘treinar’ entrevistas.

Existem agora dois cenários que requerem abordagens diferentes: o caso do recém-formado e do trabalhador com experiência.

- Recém-formado

Um erro comum de recém-formados é aceitar a primeira, ou uma das primeiras propostas que aparecem.

O entrevistador, muitas vezes, serve-se da inexperiência do candidato para fazer uma oferta mais baixa. Leva a pensar que o valor apresentado é o que o mercado oferece, ou que, eventualmente, irão ter um aumento quando tiverem experiência. Não caiam nesta armadilha.

Lembrem-se que existem mais ofertas e que podem sempre pedir mais tempo para pensar na proposta. Diria aliás, para fazerem sempre isto, independentemente da oferta. Leiam bem, e com calma, o contrato, e façam uma análise comparando as restantes ofertas.

Ter especial atenção no seguinte:

  • Ajudas de custo - Muitas vezes usadas para pagar salário bruto baixo. Podem desaparecer a qualquer momento.
  • Horas a mais - Normalmente referido logo na entrevista como “vestir a camisola”. Evitar este tipo de empresas.
  • Estágios IEFP - Visto que apenas estou a falar de bons profissionais, em circunstância alguma se submetam apenas aos valores estipulados por um estágio deste tipo.
  • Não tenham medo de falhar - Entrevistas correm mal a toda a gente, principalmente a quem foi a poucas.
  • Existem sempre mais ofertas - Não se deixem pressionar por ninguém. A oferta é imensa.

 

Com várias propostas é possível negociar. No entanto é mais complicado para alguém sem experiência atingir valores muito acima da média.

Em último lugar, lembrem-se que existe um prazo estipulado para rescindir o contrato, que devem usar caso se arrependam da escolha.

- Trabalhador com experiência

Aplica-se o mesmo que referi acima para recém-formados. Mas para quem já tem experiência pode, e deve, ser mais exigente. Quando avalia novas ofertas deve sempre pedir valores antes de marcar entrevista.

Para além de filtrarem, à partida, ofertas que não fariam qualquer sentido, estão a valorizar a transparência de salários, algo que tanto falta no mercado de IT.

Outro ponto importante é que mesmo estando confortáveis no vosso emprego, é sempre bom ter a noção do valor enquanto profissional. Não se perde nada, e quem sabe, podem ter uma surpresa agradável.

Com esta informação, considero que têm todas as informações necessárias para negociar o melhor salário possível e ao mesmo tempo valorizar a área de IT em Portugal.

Boa sorte!